17 maio, 2007

Suplício de silêncio


Imagem: "Da espera"; Dionisio Leitao.


Nao sei ao certo como mas,
hoje, nao queria sentir o silêncio
dos barcos longuinquos que passam...
Nem queria o peso sórdido
dos céus em meu peito...

Apetece-me... o teu silêncio
de àgua cristalina que brota....


O peso do teu corpo no meu corpo.

Ou entao ter a força suficiente
para intruduzir as maos no meu peito
e de um rasgo ou de um suspiro
arrancar de vez...

...o coraçao.


AlmaAzul, Altea; 2007

6 comentários:

Filipe disse...

Para o bem e para o mal... um coração nunca se consegue arrancar de uma só vez! Vai antes sendos... aos poucos... bocadinho a bocadinho... despedaçado... preenchido...

Por mais que o tentes arrancar de uma só vez... ha sempre uma raiz que perdura... ha sempre um outro coração que nao precisa de bater para se fazer sentir!

:) *

PS: em adenda...

http://www.youtube.com/watch?v=dUIsQo4K70Y

nina rizzi disse...

nossa, é lindo, intenso, abissal. tudos...

Cometa 2000 disse...

muito bonito!

SAM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SAM disse...

como premio pelo tao esperado regresso a casa, linkei-te ;-)

bjos miuda!

delusions disse...

"Apetece-me... o teu sil�ncio
de �gua cristalina que brota...."

que lindo este sil�ncio. gostei do blog.

Bjs* boa semana
Sofia