22 agosto, 2005

Em mim

Não sei como nunca te tinha visto assim...
Sempre estiveste tão perto
mas um perto tão longe...
e agora que estás tão longe,
estás tão perto.

14 comentários:

M. disse...

e para o melhor ou pior... está dentro de ti!
Um beijo precioso :o)

mfc disse...

O paradoxo do espaço e a sua subjectividade explicados de modo simples.
Como o espaço é diferente de pessoa para pessoa... e na mesma pessoa, dependendo de circunstâncias externas que nos condicionam.

nina rizzi disse...

uau.. adorei o comentário anterior ao meu é tão... RACIONAL. quanto ao poema... desnecessário comentar, visto que quase toda a obra de M. Andradina disseca o assunto... gostei. gosto de como o amigo Lirrac escreve. adoro-o!

ah.. saudade, espero que esteja correndo tudo bem, aqui na mesma, incrivelmente enfadonho. mas nada desesperador.

beijos coloridos :)

Natalie Afonseca disse...

:)
(um simples sorriso)
***

whitesatin disse...

"Longe da vista, mas perto do coração". E não será sempre assim quando se ama alguém?
Beijinho

AS disse...

Por vezes temos as coisas tão perto que só reparamos nelas quando as não vemos...

Um beijo azul

devaneios disse...

é assim a invisibilidade, por mais metaforica que possa ser...
nós passamos de despercebidos mas tambem há coisas que nos passam ao lado.. e quando chocamos contra elas desaparecem...

gostei,
já está nos meus links!! ;)

devaneios disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
sotavento disse...

Ah, mas é sempre assim, a gente só vê bem ao longe!... :)

Márcia disse...

como conheço bem isso. ;)

beijo.

indigo des urtigues disse...

Também conheço isso..Tão longe e tao perto...e como aperta...

matarbustos disse...

...e dito assim ainda é mais bonito.
gosto do que escreves; vou continuar a ler-te.

Anónimo disse...

This is very interesting site... »

Anónimo disse...

Very nice site! » »