09 dezembro, 2009

Inspiração procura-se



As telas estão há meses encostadas á espera de um rasgo de inspiração que as termine. E conto já umas quantas intermináveis. Será que não há por aí alguém que saiba o segredo da inspiração?


10 comentários:

alguresnumaserra disse...

Não sei se ajuda, mas um dia disseram:
"Look inside, to make outside!

Eu acho que música, passeios e boa companhia para discutir algum assunto são sempre inspiradores...

Umas partilhas musicais:

http://www.youtube.com/watch?v=mhwufCg7THM

http://www.youtube.com/watch?v=_Un5SJ1aAGM

http://www.youtube.com/watch?v=CzR_MlSk2_s


http://www.youtube.com/watch?v=dRqZEU7jv7w

http://www.youtube.com/watch?v=9IUqN9ozmhw

Hagia disse...

Essa é uma pergunta para "queijinho"? :)

Eu acho que não há segredos para a inspiração.
É algo que vem de nós próprios, do nosso estado de espírito.
Se nos sentimos vazios... ela seca (por uns tempos)... por otro lado, se transbordamos (de alegrias ou tristeza) ela simplesmente "desagua" por imagens, sons ou por palavras...

Bjtus

Dantins disse...

O amor...

Se bem que quando estamos apaixonadas, por vezes, nos falta o tempo para praticarmos a inspiração em outras áreas que não o amor :)

nina rizzi disse...

vou com dantins.
e, pegava umas sementes de *
engolia-as
e sonhava, sonhava...

AlmaAzul disse...

algures, sim sem dúvida que a música ajuda nos momentos de inspiração mas julgo que por si só não é capaz de produzir inspiração. Depende de “nós” em interacção com ela. Não te parece?


Hagia,
e quando estamos tão cheios que nem há espaço para ela? :-/


Dantins, eu concordo contigo em relação ao tempo e sem duvida que o amor é motivo de inspiração mas ele rende ais quando é desamor, não achas?


Nina, um pó de estrelas?


P.S. acho que estou interrogativa de mais…

alguresnumaserra disse...

Vou responder com outras interrogativas ehehhe:

No coments ao "look inside to make outside"?

Não consideraria a música a única fonte de inspiração, e aí concordo contigo depende da interacção "nós" com a seleccionada, contudo eu acrescentei propositadamente companhia com quem se possa discutir tematicas/assuntos/sentimentos/preocupações e também passeios, sejam estes estáticos (pelo pensamento, pelo sonho, pelo vazio, pelas palavras) ou realmente com movimento (na montanha, na praia, na planicie, com as palavras, no supermecado, em casa, de carro)
não concordas???
E já agora das músicas partilhas nenhuma te fez voltar a ouvir ou guarda-la na tua jukebox????
Um bom dia para ti!!!

alguresnumaserra disse...

Hoje no i:

http://www.ionline.pt/conteudo/36482-profissoes-criativas-onde-quando-e-como-surgem-as-ideias

AlmaAzul disse...

Relativamente ao “Look inside, to make outside!”
Sinceramente tenho algum receio em ver o meu interior. Essa expressão faz-me lembrar o filme “A Cela”.
Da música gosto especialmente Porcupine Tree e de Holly Throsby.
Em relação à noticia identifico-me com alguns momentos de inspiração nesses espaços ou nesse momentos mas nem sempre, porque umas vezes sim e outras não? Não são uma vez mais eles por si só capazes de inspirar.
Ou seja, há várias “coisas”que nos inspiram, e entenda-se como exemplos de coisas tudo o que já citamos. Mas, essas mesmas coisas nem sempre nos inspiram. Ou seja não são por si só motores de inspiração.
E voltamos ao inicio o que a estimula? Donde vem, quando vem. De nós ou das coisas?
Talvez de ambas as coisas quando a quadratura dos astros, dos deuses, das energias, do pó de estrelas, ou do que lhe quiserem chamar, assim o ditarem.
Bem, como diria alguém: “Lógica Aristotélica…” ou “as teorias da alma”.

alguresnumaserra disse...

Hummm...
Não estaremos nós sempre inspirados mas sem a capacidade de perceber essa mesma inspiração?
E o que é no fundo, inspiração?
Não estará a nossa (des)concentração implicitamente relacionada com esse (re)(des)conhecer a estimulação?
Talvez vá mais pelas "teorias da alma"

rv disse...

por acaso é raro acontecer-me, pq qd pego nelas não sei omo as vou acabar m sei que tenho cá dentro o nacessário para as acabar; mas agora dedico-me tb a outra paixão: a ilustração infantil a pastel, sempre