14 janeiro, 2009

Estou.... nem sei como...

Tenho por hábito não fazer comentários acerca de política, políticas, políticos e todas a "ices" que se lhe associam...Bem como de religião, religiosos ou religiosismos...
Este hábito adquiriu quando conclui que a grande maioria das pessoas fala de política como fala de futebol... Como se um partido fosse um clube! E claro o "nosso" quer ganhe quer perca é sempre o melhor... E apesar de muitas vezes acontecer o mesmo em relação às religiões, não gosto de tecer comentários religiosos pois considero a religiosidade de cada um das coisas que de mais íntimo tem, são as suas crenças mais fortes.

Por isso abstenham-se de comentários partidários por favor... e tenham cuidado com as palavras que ferem as susceptibilidades mais íntimas pois elas são desnecessárias. No entanto se tiverem algo a dizer não deixem de comentar as minhas próximas questões.

- Acham normal a forma como José Sócrates se referiu ao Partido Ecologista os Verdes na Assembleia da República?

- Acham normal que, na sociedade actual, o representante máximo da religião católica (em Portugal) se dirija assim às devotas da sua religião, ofendendo, correndo o risco de entrar em conflito com uma outra religião?


- Normalidade não existe...

4 comentários:

nina rizzi disse...

de todos os "ismos", fico só com ellenismos.. rs..

quanto ao papa, é, de fato, lamentável, pra não dizer o que penso e não ferir as "suscetibilidades"...

AlmaAzul disse...

Bem apesar do mesmo se poder tmabém aplicar ao Papa referia-me a D. José Policarpo Cardeal Patriarca de Lisboa :)

Dantins disse...

É impossível ficar indiferente perante tais barbaridades.
Como é um responsável de um governo pode abordar um partido de tal forma, só a sua arrogancia poderia explicar a sua atitude.
Quanto ao D. José Policarpo, só posso justificar tais declarações com insanidade mental, quando se apela ao diálogo entre religiões ele ele vem com declarações xenófobas, é injustificável a sua atitude e os seus termos.

nina rizzi disse...

hahahaha.. eu devo mesmo começar a me interessar par'além das letras portuguesas...