18 novembro, 2005

teu porto [ teu corpo]

Aporto em ti

como veleiro cansado do mar

[De amar]

dispo as velhas cansados do vento

[do tempo]

Abando-me no teu cais

[no teu corpo]

Julgando que ai permaneço eternamente

[brevemente].


AlmaAzul